Balanço de 2017 e planos para 2018.

O final de 2017, como todos os finais de ano, foi demasiado agitado para que pudéssemos parar para pensar e janeiro, como todos os janeiros, foi o mês para fazer planos, pelo que só agora conseguimos fazer um balanço correto do ano que passou e organizar ideias para este ano.

E o que é que se passou em 2017? Antes de fazermos o balanço sentíamos uma certa frustração: as 52 tarefas a que nos propusemos não ficaram concluídas. Estávamos um bocadinho chateados. Depois, analisando bem a lista, caso a caso, percebemos que, afinal, fizemos tanto!… Muito mais do que aquilo a que nos propusemos, apesar de não termos feito tudo aquilo. Ou seja, houve tarefas que se desdobraram em várias outras. Na remodelação da sala, por exemplo, fizemos candeeiros de parede, um biombo de madeira, colocámos mais teto, pintámos uma parede “geométrica”, fizemos objetos decorativos,… enfim, parece daquelas contas de matemática que se desdobram e desdobram.
Toda a gente sabe que uma obra nunca é bem só uma obra. As ideias mudam a meio, as surpresas aparecem. Ah, e mais: ainda fomos chamados a outras casas!
Listámos, então, tudo o que fizemos a mais, que não estava previsto nas nossas 52 tarefas para 2017, e eis o que encontrámos:

 

Extras de 2017

  • abajur hall

 

  • pintura da mesinha (agora preta)

 

  • abajur sala

 

  • cassete

 

  • candeeiros de parede

 

  • biombo

 

  • “parede geométrica”

 

  • prateleira

 

  • novo teto

 

  • recuperação de uma estante

 

  • sala da nossa amiga Helena

 

  • organização do armário da Helena + arranio de roupeiro

 

  • casa para os gatos

 

  • placa do 52

 

  • painel para o Gonçalo

 

  • um pequeno móvel de gavetas para organizar os parafusos

 

  • restauro de um móvel de fraldário para o hall

 

  • e mais umas quantas coisas em casa alheia, das quais não temos fotografias: projeto de decoração/reorganização de um apartamento pequeno, colocação de soalho flutuante, montagem de móveis,…

Bom, assim sendo, ficamos satisfeitos. É que, ainda por cima, houve tarefas que não fizemos porque simplesmente mudámos de ideias. A partir do momento em que decidimos, por exemplo, trocar de quarto com a Cá, houve logo meia dúzia de tarefas que pusemos de parte, pois já não se justificava fazer antes desta mudança.  Sim, pais e filha (foi mais mãe e filha) decidiram mudar de quartos este ano e, isso, inclui closets também. Não perguntem o que nos deu… às tantas apeteceu-nos. E este é o primeiro projeto de 2018. Temos outro, bem grande… gigante… um sonho… mas vou deixar esse assunto para outro dia.

E é isto! Uma coisa é certa: antes de qualquer projeto, qualquer lista de tarefas, o que quer que seja que decidamos, o nosso lema sempre foi e vai continuar a ser “Se é para fazer, faça-se bem feito!” e se, para isso, tivermos que mudar de planos, demorarmos mais do que previmos ou tivermos que fazer uma curva em vez de seguir em linha reta, é o que faremos. E isso tem que ser o suficiente para o balanço ser positivo e nos deixar satisfeitos connosco, com a nossa casa e com o nosso espaço de trabalho. Não concordam?

Quanto a vocês, amigos, companheiros, fieis seguidores, deixem-se ficar connosco, acompanhem-nos, arranjem-nos mais amigos, e nós prometemos continuar a criar, a trabalhar e a partilhar!

 

Bejufas e abraços,

Carlota

 

 

 

 

 

2 Comentários
  • Maria Fátima Carvalho
    Publicado às 19:52h, 14 Fevereiro Responder

    Este trabalho é mesmo de artistas. Parabéns!

  • Sandra Marques de Paiva
    Publicado às 21:23h, 10 Fevereiro Responder

    A cassete ficou fabulosa, assim como a parede geométrica. Vou continuar por aqui, curiosa por ver o que vão fazer a seguir 🙂 Beijinho

Publique um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.