Há poucos dias discutia-se cá por casa a quem é que a nossa filha sairia no que toca à (des)arrumação. Passando o “testemunho” um ao outro, cada um de nós defendia-se como podia. Juro que tenho a noção de que não sou uma adepta fervorosa da organização do lar, não sou viciada em limpezas, desinfeções, arquivo, catalogação, ordenação e por aí fora… não sou muito escrupulosa nem meticulosa, já para não dizer “picuinhas”, mas acho que sou minimamente organizada, arrumada e não consigo trabalhar com confusão à minha volta. A minha mesa de trabalho fica todos os dias impecável e pronta para o dia seguinte, depois de horas a pintar, desenhar e apagar,…
Por isso, ao atacar com “a tua secretária deixa muito a desejar”,  fiquei escandalizada quando ouvi “olha que tu também não és muito arrumada!”.