Destralhar tem destas coisas…

Um dia pegamos em mais uma caixa de papelada para destralhar e eis o que se descobre: fotografias de uma das nossas primeiras casas, que resolvemos “arranjar” com as nossas próprias mãos. Destralhar tem destas coisas… e, para verem que esta mania de nos armarmos em jeitosos não é mania recente, aqui está a prova.
Aos 21 anos alugámos, com mais duas colegas da faculdade, um apartamento em Alcântara a cair de velho (mas lindo!), negociando uma renda mais baixa em troca das obras (feitas por nós).

Deuses, foi a loucura! Decapámos portas e janelas, substituímos vidros partidos, montámos CANALIZAÇÃO EXTERNA DE ÁGUA QUENTE, malta!!!!… não havia água quente para os banhos!
Foi o máximo, foi uma aventura, foi uma canseira, mas foi uma experiência para a vida! Recordamos agora os momentos divertidos, a cumplicidade, mas também as zangas, a irritação com os pingos do raio da canalização que montámos, a irritação com as tintas de esmalte que obrigavam ao uso de diluentes, a irritação com um líquido decapante incapaz de decapar camadas e camadas de tinta, o cheiro horrendo da tinta queimada pelo maçarico, o calor desse verão (ao qual se juntava o do maçarico)… a massa de vidraceiro para colocar os vidros e vidrinhos que íamos trazendo de uma loja no Cais do Sodré… recordamos as noites mal dormidas, os banhos mal tomados, as refeições mal amanhadas numa casa que mais parecia um estaleiro… mas o gozo, o gozo disso tudo!

 

 

Infelizmente, não possuímos fotografias do “depois”. Deixaremos à vossa imaginação. Só vos dizemos que fizemos menos do que era preciso, mas muito mais do que imaginámos.
Não ia colocar aqui as fotografias das nossas companheiras de jornada, mas não consigo evitar. Elas, como nós, gostarão de se rever à época; sem elas esta reportagem ficaria “maneta”, já que o feito foi dos quatro.

 

Em cima, a sala cujas paredes e janelas foram mesmo arranjadas; à esquerda, a nossa Davina ♥; à direita, euzinha.

 

 

À esquerda, o Marcelo a decapar a maçarico; à direita: um dos quartos + o descanso do guerreiro e da nossa Sandrinha ♥.

 

 

O calibre destes rodapés e da instalação elétrica (ao nível da canalização)! Bom, enfim…
Quanto a nós, muita coisa mudou, claro, como o cabelo do Marcelo e as rugas da Carlota, mas há coisas que não mudam: esta nossa capacidade de sonhar, a vontade de fazer, a audácia de tentar… e a falta de cheta para contratar jeitosos profissionais. 😀

Carlota

(Gostaram deste artigo? Então, coloquem aí em baixo um ♥ para nós sabermos.)

 

 

 

 

5 Comentários
  • Marta Tex
    Publicado às 21:25h, 20 Agosto Responder

    Que maravilha. Amei esta partilha

    • Carlota
      Publicado às 21:34h, 20 Agosto Responder

      Nós também…

  • Susana gonçalves
    Publicado às 22:28h, 20 Agosto Responder

    Que fotos deliciosas!!!!

    • Carlota
      Publicado às 23:52h, 20 Agosto Responder

      Ainda foste a esta casa, fazer-me uma canjinha quando apanhei uma gripe valente!

  • Cláudia Nazareth
    Publicado às 23:59h, 20 Agosto Responder

    Maravilhoso! Ainda lá tomei uns banhos de água fria! Quanto aos jeitosos profissionais… estão cada vez mais difíceis de encontrar!!

Publique um comentário