Destralhar todos os dias – semanas #31 a #35

Já por aqui foi dito que na génese deste blog esteve uma vontade de querermos habitar e trabalhar num espaço mais tranquilo, organizado e inspirador. Mas, ainda antes de podermos organizar os espaços, duas grandes tarefas teriam que ser feitas: algumas obras de melhoramento e renovação da casa e muito “destralhanço”. Ao fim de 20 meses nós confirmamos a teoria: sem retirarmos de nossas casas tudo aquilo que está a mais, que está guardado e não usamos, tudo o que, de facto, não necessitamos, sem olharmos e analisarmos verdadeiramente para o que temos e fizermos uma triagem, é impossível organizar a casa! Organizar implica destralhar, ponto final.

A nossa sala, objeto de remodelação completa, é o exemplo maior da nossa confirmação da teoria da Marie Kondo: se só nos fizermos rodear das coisas de que realmente gostamos e nos fazem felizes, e descartarmos tudo o resto, nós ficaremos BEM. Ficaremos com uma vida mais facilitada no que toca a limpezas e arrumações, com menos peso sobre os ombros, com menos “coisas” que não nos deixam avançar, seguir em frente, com uma sensação maior de bem-estar e felicidade… e está provado que a felicidade é um contributo essencial para ter mais saúde e mais sucesso.

Por isso, ao fim de todas estas semanas, nós continuamos a destralhar esta casa. Nem sempre é todos os dias… mas contabilizamos uma coisa por dia (e até mais!). Impossibilitados de tirar uma semana só para isso e fazer a casa inteira de uma vez (como a guru da organização defende), temos estado a fazer ao longo de 52 semanas e não tem corrido mal. Apenas acho que, deste modo, não há lugar a “terapia de choque” e que podíamos ser ainda mais vigorosos nesta tarefa… mais implacáveis. Mas o mundo não acabará no final destas 52 semanas e, se for preciso (que eu acho que vai ser), continuaremos por 2018 dentro. É incrível como tirar 365 itens — que será mais, já que às vezes se trata de conjuntos de coisas — de dentro de casa ainda não faz uma diferença assim tão grande!

Mas nós cá estamos, conforme podemos, com muita vontade e nenhum arrependimento, nesta cruzada. E nas últimas semanas saíram daqui:

 

  • livros de leitura obrigatória da Cá (sejamos francos, são bons livros mas não são os preferidos dela… e este ano há mais para comprar… e o orçamento familiar é limitado… e vendê-los mais baratos a outra criança é uma mão lavar a outra);
  • bibelots que já não se coadunam com a nossa casa;
  • latas e frascos de tinta e outros produtos completamente secos;
  • os nossos primeiros telemóveis… sim… até as borrachas se estão a desfazer! Pergunto: para quêêêê? Por quêêêê tantos anos aqui????
  • Dois cortinados/estores, que retirámos da sala (não vale a pena guardar porque, se tirámos, é porque já não tinham condições para lá estar, certo? E quando precisarmos de estores para outro lado vamos querer uns novinhos…)
  •  E sapatos. Está na altura de nova triagem pois vem aí nova estação. Há os que já não servem à Cá e que vão para as primas, há os que vão para o lixo de tão usados e há os que aguardavam arranjo há meses e nunca foram arranjados (expirou o prazo!).

 

Por isso, vos dizemos: vamos continuar a destralhar. Ainda muito há a fazer, mas a diferença que já sentimos não nos deixa desistir!
Se vos inspirarmos, será ouro sobre azul!

Carlota

SaveSave

Sem Comentários

Publique um comentário