natural x industrial

Ando há meses para tratar das nossas plantas em vaso…
De tanto aguardar estão em sofrimento, coitadinhas. E olhem que, para catos e suculentas chegarem ao ponto as que as nossas chegaram, é preciso muita displicência e desleixo!
Ontem, a meio do dia de trabalho, já cansada dos desenhos e do computador, olhei em volta e cheguei à conclusão que faltava vida na minha sala.
Rapidamente, fui à varanda e retirei deste vaso umas suculentas sofridas.

suculentas_4

 

Peguei em frascos que tinha por cá — costumamos lavar e guardar alguns frascos de alimentos em conserva — e, com uma caneta rotuladora branca, desenhei-lhes umas carinhas fofas.
Depois, enchi-os com terra e enterrei a raiz das plantas. Tão simples quanto isto!
Eis o resultado:

 

suculentas_2

suculentas_3

 

Propositadamente, assumi o frasco sem esconder a parte onde a tampa enrosca. Podia enrolar corda, fita ou outro fio para disfarçar, mas gosto do ar industrial do frasco versus o natural das plantas.

Agora, estão aqui ao meu lado, para purificar-me a vista sempre que estiver cansada.
E não tenho a menor dúvida que vão pegar e desenvolver-se bem, porque estas são das rijas!
Mas é possível conceber uma casa sem, pelo menos, uma plantinha? Não sei como…

Carlota

Sem Comentários

Publique um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.