As revistas, os livros, o texto, a imagem, são arte ao alcance de todos.

Sim, cá em casa somos designers gráficos de profissão. E sim, os livros, as revistas, a fotografia, a ilustração, a tipografia,… são a nossa companhia diária. Sim, somos daqueles cujos olhos semicerram para entender o equilíbrio, cujo coração acelera quando encontra beleza; sorrimos quando a estética se alia perfeitamente à função e sentimos paixão, um calor dentro do peito, com a forma das coisas, com os materiais, com o traço, com a linha, com as letras e as manchas de texto. Arrepiamo-nos com uma página bonita,…
E é por isso que gostamos de nos fazer rodear por aquilo que mexe connosco, nos faz bem à alma, nos transmite boa energia e nos inspira.

Nesta onda de destralhar a casa, ficámos a perceber exatamente o que é que queremos connosco e o que é que não nos diz nada, do que é que gostamos e valorizamos e o que é que não é suposto possuirmos. E isto é que é a grande vantagem de destralhar – redefinirmo-nos, não como pessoas (não vou tão longe), mas como fruidores das coisas, como agentes captadores das energias que nos rodeiam. E, desde que decidamos que só nos vamos fazer rodear de coisas que nos “aquecem o peito” e que fazem o nosso coração palpitar, libertarmo-nos de objetos é muito mais fácil do que parece.
Foi a pensar assim que saíram desta casa, toneladas de papel! – Catálogos, folhetos, livros, revistas,… Só ficaram “os bons”, os que nos colocam um brilhozinho no olho, os que fazem o nosso coração disparar. É o caso de duas pranchas de umas revistas antigas, que me faziam parar sempre que as folheava. Trata-se de duas ilustrações científicas – uma de diversas espécies de plantas carnívoras e outra de diversas espécies de aves. A cor, a mancha, o estilo e a temática destas duas obras têm muito a ver comigo, com o meu gosto pela natureza, pela ilustração e pelo antigo e, por isso, sem mais nada, destaquei as páginas das revistas e emoldurei-as. Coloquei-as na nossa sala, onde as vejo todos os dias e todos os dias as admiro.

E isto é arte! Estes dois trabalhos são obras de arte. Barata, é certo, mas a arte tem que ter um preço alto?… ou basta apenas que nos faça disparar o coração?

Capas de livro, páginas de revista, anúncios publicitários e embalagens podem ser pequenas obras de arte criadas por designers, artistas do grafismo (do lettering e da imagem), e podem encantar o nosso olhar tanto ou mais do que uma obra em tela.
Fica a ideia!

Carlota

Sem Comentários

Publique um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.