Apesar de já antes termos tido dias de muito calor e de hoje as temperaturas até baixarem, o verão chegou oficialmente esta semana. Olá, verão!
Nós gostamos dos dias compridos e desta luz que entra na nossa casa logo pela manhã (principalmente, depois de termos retirado os estores da sala)! Gostamos dos refrescos que fazemos com as ervas do jardim e da fruta vermelhinha, portuguesa e biológica. Pode até nem tudo correr bem ao longo do nosso dia (como um verniz que colocámos, ontem, em cima de uma peça encerada… 😱), mas esta luz, uma peça de fruta madura ou uma tisana fresquinha são o suficiente para levantar a moral!

Finalmente vamos tratar da nossa sala! Dez anos depois de uma obra que, devo dizer, ficou muito mal amanhada, e com a qual não ficámos nada satisfeitos (tinta reles nas paredes, portas mal decapadas, mal arranjadas e ainda pior envernizadas,…) voltamos a dedicar-nos a esta divisão da casa. Ao longo dos anos temos vindo a repintar, nós mesmo, todas as outras divisões (com tinta de qualidade) e já só faltava esta.
Entretanto, andamos a acertar agulhas com o projeto e confesso que já não me lembrava como, em matéria de decoração, eu e o Eme estamos muitas vezes em desacordo…

Chegou a hora de largar lápis e computadores e dar cabo das unhas pela nossa casa! Ui!… E o que nós gostamos disso! Ultimamente andámos um pouco afastados da oficina, das madeiras e das ferramentas… e já estávamos a ficar doentes…
Hoje nem esperámos pelas 18h para largar o trabalho no computador! A seguir ao almoço, ele foi comprar uns materiais que vamos precisar para este fim-de-semana e ela começou a fechar o dia e a fazer planos para o que vem aí – finalmente, a remodelação da sala! Uhuuu!!! (Sim, vai ser trabalho, não para um, mas para vários fins-de-semana.)

Por vezes é preciso um tapete bem fofo, uma almofada confortável e uma chávena de chá de erva-príncipe para tratar de certas papeladas e assuntos pendentes.
Decidimos renegociar as dezenas de seguros que nos foram “obrigando” a fazer ao longo dos últimos anos. Multi-riscos habitação, multi-riscos negócios, seguros de trabalho, de saúde, de vida, de recheio, automóvel…
Com tantos seguros há tanto tempo, algo vai ter que mudar.

Alegria.
Gosto desta palavra… intimamente ligada a “bem-estar”.
Hoje pus-me a pensar no que trará alegria a uma casa. Não me refiro a realização pessoal e profissional, estabilidade financeira, familiar, saúde, etc. Tudo isso é essencial, claro, mas não, pus-me a pensar em que medida é que o ambiente que nos rodeia nos pode fazer esquecer algumas “maleitas” e contribuir para que nos sintamos mais felizes; pus-me a pensar em coisas simples que contribuem para uma casa feliz; e em que medida é que a nossa casa, o seu aspeto, influencia o nosso estado de espírito.