Hoje não vamos sair de casa… não queremos… não nos apetece…
Acho que ainda nos falta um ou outro presente, mas havemos de arranjar maneira de os fazer. Temos prendas para embrulhar e iguarias para cozinhar. Queremos uma Carlota com roupa confortável, de volta da casa, e um Marcelo de polar quentinho, na oficina. Isto soou um pouco machista… mas não, é o que nós gostamos mesmo de fazer! A Cá também está como quer, com as primas e os avós. Quis ir para Coimbra fazer um curso de costura, mas amanhã já estaremos todos juntos novamente.
E porque a lenha chegou hoje às nove em ponto, vamos acender a lareira (que esta casa tem estado um gelo!)… e as velas… e as gambiarras.
Hoje, queremos um pouco de tranquilidade e queremos preparar o Natal, sem stress.

Esta imagem foi uma das que publiquei no Instagram esta semana. Ai, inspiração! O feedback foi tão positivo que é hoje a imagem de destaque deste artigo. Para além do mais, é o exemplo perfeito daquilo que quero partilhar – um canto da nossa cozinha reorganizado com os objetos que decidimos manter depois do “destralhanço” dos armários. São aqueles dos quais não prescindimos, nos quais gostamos de tomar um café ou um chá reconfortante, que contribuem para a imagem perfeita do nosso espaço ou que levamos para a mesa com muito orgulho.
Dinheiro investido na remodelação deste espaço: 0.
Tempo dispendido: uma tarde divertida.
Manutenção: a essencial para limpar pó e migalhas. De resto, desde que foi (bem) organizado, nunca mais este espaço se desarrumou.

Pois é, pessoal… não ganhámos a 2.ª edição Blogs do Ano 2017… mas também não estávamos a contar muito com isso!
(Esta foi a foto possível de ontem, tirada pelo homem da casa.)
O nosso espanto e o nosso prémio aconteceram no dia em que nos disseram que estávamos nomeados, juntamente com outros três na categoria de Decoração (e que três!). Ah, pois é! Nem queríamos acreditar. Um blog ainda novinho, pequeno, com menos de 2000 seguidores – argumentámos. E sabem o que nos disseram? “Não interessa o n.º de seguidores nem a idade do blog, interessa a qualidade de conteúdos e, no vosso caso, houve unanimidade de opiniões entre os jurados.”

Um dia pegamos em mais uma caixa de papelada para destralhar e eis o que se descobre: fotografias de uma das nossas primeiras casas, que resolvemos “arranjar” com as nossas próprias mãos. Destralhar tem destas coisas… e, para verem que esta mania de nos armarmos em jeitosos não é mania recente, aqui está a prova.
Aos 21 anos alugámos, com mais duas colegas da faculdade, um apartamento em Alcântara a cair de velho (mas lindo!), negociando uma renda mais baixa em troca das obras (feitas por nós).