macramé voltou a entrar nas nossas casas e os vasos suspensos também! Adoro esta forma de trabalhar o espaço em altura e a leveza que lhe conferimos, deste modo. Já não é a primeira vez que opto por esta solução e os primeiros vasos que suspendi estão aqui.

Não, não é brejeirice… é isto mesmo!
Quando o tomateiro atinge cerca de 40cm de altura, aparecem uns pequenos rebentos junto aos ramos que saem do caule. Estes rebentos são chamados de “ladrões” porque roubam nutrientes que deveriam seguir para os frutos. Não pode ser, não podemos deixar que cresçam e retirem a energia à planta. Assim que eles atinjam o tamanho de um dedo, toca a cortar!

Bom dia! Bom sábado! Bom fim-de-semana, cheio de sol e calor!
Ontem, estava eu muito bem a andar pelo atelier quando vem o Sr. Luke numa correria desenfreada, passa-me por entre as pernas que nem um louco e atira-me uma delas contra a parede!!! Dei cabo do dedo mindinho… e hoje, 5h da manhã já estava fora da cama, com dores. Mas como há males que vêm por bem, foi da maneira que já deixei pronta a minha partilha de hoje, um projeto FVM (faça você mesmo), que se faz em poucos minutos, desde que tenham os materiais necessários.

Um destes dias, as nossas batatas doces, esquecidas no cesto das batatas, começaram a grelar. Achei a folha tão verdinha, tão bonita — em forma de ♥ — que coloquei a batata em água e deixei que continuasse a crescer.  Entretanto, levei outra para a escola, onde dou aulas de artes a crianças, e acompanhámos o seu crescimento à medida que a íamos desenhando. A alegria dos meus meninos a cada semana que passava e as hastes aumentavam!!!
As aulas acabaram e tive que trazer a nossa plantinha para o atelier. Arranjei o sítio perfeito para ela e adoro tê-la ao meu lado!

As echeverias preferem ser regadas por cima e até gostam daquela gotinha de água que fica retida no centro das folhas, por isso, também são conhecidas por Rosa Pérola. A terra húmida apodrece as suas raízes e causa o aparecimento de doenças. Mas, atenção, não devemos regar na hora de maior calor, pois as gotas de água nas folhas aquecem demais e “cozem” a planta.
É por esta razão que estas que temos no jardim estão tão viçosas e a dar flor… são regadas pela mangueira, sempre que regamos a relva. Hoje, depois do trabalho, vai ser o dia em que vou limpar todas as folhas secas que se mantêm por baixo das “rosas”, para que fiquem com mais energia, para que entre alguma luz e ar entre elas e para evitar que se acumule demasiada humidade na terra.

Ando há meses para tratar das nossas plantas em vaso…
De tanto aguardar estão em sofrimento, coitadinhas. E olhem que, para catos e suculentas chegarem ao ponto as que as nossas chegaram, é preciso muita displicência e desleixo!
Ontem, a meio do dia de trabalho, já cansada dos desenhos e do computador, olhei em volta e cheguei à conclusão que faltava vida na minha sala.
Rapidamente, fui à varanda e retirei deste vaso umas suculentas sofridas.

Após uns dias chuvosos – que o nosso jardim agradece e nós também! – parece que no domingo o sol já vai espreitar, iluminando os nossos corações -> Dia dos Namorados, não esquecer. Namoradas, se eles não vos oferecerem flores, não tem nada que saber, façam como as mulheres da minha família, comprem-nas vocês e depois digam que é prenda deles! Todos ficam felizes ♥