Beeeem, nos últimos dias tem estado friiio!!! E parece que no fim-de-semana a temperatura vai voltar a baixar… e nós vamos ter que trabalhar no atelier, no fim-de-semana… “Noblesse oblige!“* – “Nobreza obriga!” – como dizia o Sr. Estevinho, um velho vizinho.
O sistema de aquecimento que usamos no atelier é este, uma salamandra a pellets.
Estamos muito satisfeitos. Funciona bem, não emite cheiros, pode ser instalada em qualquer local (precisa é de uma saída para o exterior, para libertar o dióxido de carbono resultante da combustão) e, embora consuma energia elétrica, é dos sistemas mais ecológicos, tendo em conta que os pellets são materiais 100% naturais e “amigos do ambiente”, pois são produzidos a partir de desperdícios de madeira e madeira resultante da limpeza de florestas.

Quantos objetos temos em casa – há anos! – dos quais já nem nos lembramos, que desapareceram do nosso ângulo de visão, que deixaram de ser valorizados, passando a fazer parte da “tralha”?
Hoje recuperámos alguns deles, umas árvores de modelismo, que usámos numa maquete para um cliente, e um Trabant em miniatura, que trouxemos de uma viagem a Berlim. Que alegria!
O carro com o pinheiro em cima é uma imagem que tem aparecido recorrentemente no Pinterest mas, como contadora de histórias, achei que deveria acrescentar “outra página” e recriar também um bosque de inverno. Não só achei a ideia o máximo como achei que era a oportunidade de dignificar estes objetos esquecidos.
Depois, foi só arranjar uma placa de madeira, lixar as arestas e fixar os pinheiros com um pouco de bostik. Para os proteger usei duas campânulas compradas na Area, no verão (que normalmente estão ao serviço das obras de arte da nossa Ca).
Foram uma excelente compra pois têm sempre função nesta casa!

Mais uma missão cumprida!… E a nossa casinha, já com algumas décadas, vai rejuvenescendo a pouco e pouco (há dias em que achamos demasiado pouco, mas enfim). Desta vez, dissemos adeus a um velho estore, todo amarelado, que já nos andava a atazanar há anos! Sempre que entrávamos na rua e víamos a nossa casa, lá estava ele… amarelo e feioso!

Aproveitando o facto de uma das nossas lâmpadas fluorescentes se ter fundido, resolvemos fazer a troca, mas não por outra igual, por uma lâmpada LED. Não sabíamos bem como fazê-lo, mas depois de alguma pesquisa, fez-se luz!
Vamos partilhar o que aprendemos por forma a poupar algum tempo e neurónios a pretensos “eletricistas”, como nós.

Nos últimos dias divertimo-nos muito a fazer umas letras para o quarto da Cá, para lhe conferir o espírito Bohemian Chic que ela pretende.
Felizmente que as amigas reduziram o nome dela a duas letras, caso contrário tinha sido um bico de obra… ou, se calhar, fazíamos apenas LOVE, SOL, SUN, um coração ou qualquer outro elemento mais simples.