Outra tarefa que podemos aproveitar para fazer, quando estamos sem disponibilidade para empreitadas maiores, é tirar de casa, das garagens, dos arrumos ou dos jardins, aquilo que atravanca, está avariado ou não tem mais uso e é demasiado grande para deitar no contentor do lixo.
Há coisas que andam por aqui há imenso tempo por não sabermos o que fazer com elas. Depois de destralharmos a oficina, ficámos com uma série de madeiras velhas e outros materiais num canto do jardim, à espera de solução. Alugar um contentor não faz sentido e fica caro, colocar no lixo também não é possível…
A tarefa de hoje foi, então, ligar para o Departamento do Ambiente da Câmara Municipal e combinar um dia para passarem à nossa porta para fazer a recolha destes resíduos. Facílimo! Aqui, em Cascais, existe uma Linha Verde 800 203 186 (chamada gratuita). Ligámos, indicámos a morada e já marcámos para daqui a dois dias. Na noite anterior é só colocar na rua.
Um eletrodoméstico avariado, um colchão, qualquer peça de mobiliário,… tudo pode ser recolhido assim.
Abandonar resíduos no espaço público constitui uma contraordenação grave punível por lei e já todas as Câmaras Municipais terão este serviço.

As echeverias preferem ser regadas por cima e até gostam daquela gotinha de água que fica retida no centro das folhas, por isso, também são conhecidas por Rosa Pérola. A terra húmida apodrece as suas raízes e causa o aparecimento de doenças. Mas, atenção, não devemos regar na hora de maior calor, pois as gotas de água nas folhas aquecem demais e “cozem” a planta.
É por esta razão que estas que temos no jardim estão tão viçosas e a dar flor… são regadas pela mangueira, sempre que regamos a relva. Hoje, depois do trabalho, vai ser o dia em que vou limpar todas as folhas secas que se mantêm por baixo das “rosas”, para que fiquem com mais energia, para que entre alguma luz e ar entre elas e para evitar que se acumule demasiada humidade na terra.