Sim, cá em casa somos designers gráficos de profissão. E sim, os livros, as revistas, a fotografia, a ilustração, a tipografia,… são a nossa companhia diária. Sim, somos daqueles cujos olhos semicerram para entender o equilíbrio, cujo coração acelera quando encontra beleza; sorrimos quando a estética se alia perfeitamente à função e sentimos paixão, um calor dentro do peito, com a forma das coisas, com os materiais, com o traço, com a linha, com as letras e as manchas de texto. Arrepiamo-nos com uma página bonita,…
E é por isso que gostamos de nos fazer rodear por aquilo que mexe connosco, nos faz bem à alma, nos transmite boa energia e nos inspira.

Uma das áreas que trabalhámos no projeto do hostel Impact House foi a iluminação dos quartos. Mais uma vez – e de acordo com o projeto – pretendíamos uma solução simples, criativa, amiga do ambiente e não muito dispendiosa.
Um dos problemas nos quartos de grupo, com beliches, é que dificilmente poderíamos usar candeeiros suspensos e grandes abajures, devido à altura da cama superior; plafons também não eram viáveis, nestes tetos trabalhados. E também precisávamos de cortar a frieza da dimensão dos quartos e de criar um ambiente confortável, por isso, focos também não era solução que nos agradasse.
Isto era o que lá estava, deixado pelos antigos moradores – uma série deles, todos do mesmo género: