Mas haverá alguém que não goste de estudar ou trabalhar num espaço bonito e organizado?… Assim um daqueles espaços que, só de olhar, até dá vontade de começar a trabalhar?… Quem não gosta?
E não é verdade, também, que todos nós gostamos de ver os nossos filhos motivados para o estudo, tranquilos e inspirados, num espaço organizado? Oh, se é!… é meio caminho andado para um ano escolar mais calmo e bem sucedido, já que a organização é fundamental para a concentração e uma mesa de estudo organizada ajuda a um desempenho mais produtivo por parte dos nossos pequenos estudantes.
Uma coisa já percebi: jamais os nossos filhos conseguirão ser os “organizados” que ansiamos se não os ajudarmos, se não lhes mostrarmos como o poderão ser, se não lhes dermos as ferramentas de que necessitam para se organizar, se não tentarmos com eles uma e outra e mais outra vez… várias vezes, tantas vezes (até pensarmos que não está a resultar), mas sem desistir porque lá no futuro, um dia, nós entraremos na casa deles e pensaremos com os nossos botões “Olha, não é que funcionou?!”.

Já por aqui foi dito que na génese deste blog esteve uma vontade de querermos habitar e trabalhar num espaço mais tranquilo, organizado e inspirador. Mas, ainda antes de podermos organizar os espaços, duas grandes tarefas teriam que ser feitas: algumas obras de melhoramento e renovação da casa e muito “destralhanço”. Ao fim de 20 meses nós confirmamos a teoria: sem retirarmos de nossas casas tudo aquilo que está a mais, que está guardado e não usamos, tudo o que, de facto, não necessitamos, sem olharmos e analisarmos verdadeiramente para o que temos e fizermos uma triagem, é impossível organizar a casa! Organizar implica destralhar, ponto final.

Recebemos vários pedidos para explicar como fizemos a nossa “parede geométrica”. Apesar de um primeiro percalço – que já contarei – foi muito mais simples do que pensava… ou pensávamos, que o pessoal aqui de casa duvidou que esta ideia resultasse.
Tudo começou quando comprei uns cortinados lindos com um padrão de cubos. Seriam perfeitos para a nossa sala, não fosse serem demasiado pequenos em largura e demasiado transparentes para o nosso gosto. Devolvemos os cortinados, mas a ideia de ter uma área vertical com um padrão geométrico ficou. Comprar ou mandar fazer papel de parede estava fora de questão pois não tínhamos como fugir ao orçamento apertado, por isso fui para a internet à procura da melhor forma de desenhar diretamente na parede. Depois de muita pesquisa cheguei à conclusão que os marcadores Posca são o que temos de melhor em Portugal para este fim. Experimentei canetas permanentes, cuja tinta sai com álcool, mas com o tempo a tinta tende a ser absorvida pela parede e é um trinta e um para retirar ou pintar por cima. A Posca tem uma tinta acrílica e lavável. Ou seja, se passarmos com um pano seco a tinta não sai, mas com um pano húmido podemos limpar a pintura. Eu achei isso ótimo (caso a coisa desse para o torto). De futuro, só não nos podemos esquecer que aquela parede não pode ser limpa com um pano húmido. Ah! Também convém que se trate de uma parede pintada com uma tinta acetinada lavável. estes marcadores podem comprar-se em lojas de artes ou na Staples. Há imensas cores (até dourado) e espessuras. O que utilizei é o 0.7mm.