O que fazer em dias de chuva?

Já adiámos a pintura da sala em quase um mês. Ora está sol e nós temos outros compromissos, ora chove e não dá para nos metermos em pinturas!
Enquanto isso, aproveitamos os dias chuvosos para destralhar mais um quarto, um armário, uma gaveta, ou nem que seja apenas um dossier de papelada.
Também aproveitamos para estudar e projetar melhor a futura remodelação da sala, a disposição dos móveis e novas soluções funcionais e decorativas. Sofá para cá, mesa para lá… depois de uma manhã de experiências, ainda pouco é certo no que toca à futura organização da sala. Chego mesmo à conclusão que só retirando tudo de lá, vendo a sala completamente vazia, será possível ter uma nova visão do espaço… como uma tela em branco.
Outra fase pela qual já percebi que é importante passar – e que também aproveitei para começar – é reunir apenas os objetos com que iremos ficar e que funcionam bem na visão que temos para aquele espaço; retirar os que deturpam essa visão.

Enquanto isso, temos em teste uma nova mesa de apoio ao sofá. Um aquário que já não tinha uso e que agora serve também como revisteiro. O que vos parece?

 

 

Em fim-de-semana de chuva, para além da filha ir ao cinema com amigas e estudar Física, o pai “pôr o pé na estrada” para mais uma série de quilómetros ao fresco (como ele gosta) e a mãe passar uma tarde com as amigas (profissionais da organização), ainda deu para dar “uma volta” ao quarto dos brinquedos, ao armário do escritório e ainda a um saco com as recordações de escola da mãe. Pai, mãe e filha destralharam como se não houvesse amanhã!
É bom trabalhar em família por um bem comum. Não é essencial ser em família, mas é bom… até porque cheguei a pensar que nunca iria ter aliados para esta empreitada.

(Às vezes enganamo-nos… e ainda bem!)

A Ca tem sido uma verdadeira surpresa! Este caranguejinho muito sentimentalão e agarrado a tudo o que lhe foi oferecido desde que nasceu (mais o que trazia daqui e dali, da praia e do campo,… folhas… pedrinhas… tudo!), está a perceber as vantagens de ter menos, de ter o essencial e de dar a quem precisa.

 

E se há dias desesperantes em que olho em volta e tudo me parece na mesma ou me deparo com a divisão da casa “castigada” com pilhas de coisas que vão saindo daqui e dali… há outros, como ontem, em que vejo as sacadas a sair e me sinto mais leve, mais “limpa” e a caminho de algo melhor.
E isto, foi o que saiu de cá ontem…

 

 

… só para o lixo; falta aqui o que vamos doar e vender. Sim, vamos vender brinquedos da Ca em estado impecável! Interessados?

Carlota

Sem Comentários

Publique um comentário