Decidir o “tom” da nossa casa

Sim, todas as casas têm um tom – um tom de cor, um tom de estilo… e até mesmo um certo tom musical. Quando entramos na casa de alguém sentimos-lhe o tom, não concordam? E até conseguimos ouvir a música tocar numa grafonola, gira-discos ou leitor digital. Na nossa, acho que o tom é de gira-discos a dar para o digital mas, para mim, podia ser de grafonola… uma Billie Holiday… ♥
Quando mudámos para cá, eu queria um tom neutral e  o Eme queria cor e tons alegres (a Ca ainda não queria nada). Fiquei um pouco frustrada por não termos a mesma opinião acerca do “tom” da nossa casa. No início, deu origem a algumas discussões…

“Branco, branco, branco, queres tudo branco…”
“Mas tu não vês que vamos cansar-nos dessa cor?”

Com o tempo, aprendemos a equilibrar os dois gostos. Ainda estamos a fazê-lo! Ou melhor, EU, moi même, je, me, myself and I… pensei, pensei, estudei e pesquisei e julgo que consegui arranjar um “tom” para os dois. Uhuuuuu!
E como é que o fiz?
Fiz exatamente o mesmo que faço para os meus projetos de ilustração: criei uma “pasta de inspiração”, ou melhor, duas. Passo a explicar:
No atelier, eu costumo juntar alguns objetos, imagens, recortes, que me servem de fonte de inspiração (não raras vezes, utilizei peças de roupa, tecidos e padrões para trabalhar).
Para a casa, criei dois álbuns no Pinterest: casa natural e neutra + casa fresca e alegre. Esta aplicação é uma ótima ferramenta pois, sempre que abrimos o álbum, temos uma visão geral daquilo que nos inspira… temos o “tom” do nosso projeto.
Foi assim que “descobri os encantos” da escolha do Eme, bem como onde poderia encontrar os pontos comuns nos nossos dois estilos decorativos, e agradar aos gregos e aos troianos desta casa.
Deste modo, percebi que ambos queremos uma casa com muita luz, alegre e inspiradora e que tudo isso pode partir de uma base branca.
Na zona dos quartos a decoração situar-se-á nos tons neutrais, clarinhos, materiais naturais (como madeiras em tom natural, linhos, jutas,…)… tranquilizante.
Nas áreas comuns – sala, cozinha, páteo, jardim – teremos cores alegres sob a mesma base neutra… fresco.

Bom, não sei se estão a visualizar… talvez as fotografias acima sejam mais esclarecedoras. Eu estou e espero conseguir passar isso à prática até ao fim destas 52 semanas. E, por falar nisso, já me começo a sentir um pouco frustrada, pois gostaria que já estivéssemos num ponto em que não estamos… Tudo demora, outras tarefas surgem a meio do percurso,… enfim… a ver vamos!

 

(As fotografias deste artigo são de duas marcas que servem para nossa referência: Sukha e Rice)

Sem Comentários

Publique um comentário