Resposta:

Ora aqui está! Um cabide!
Esta ideia andava a moer-me há demasiado tempo! Há mais de um ano que guardo, na minha sala, madeiras velhas que foram retiradas de uma palete. Aposto que já muita gente que lá entrou se perguntou “mas por que raio tem ela este lixo aqui?”… É outra panca que tenho (para além do campo e da natureza)… madeira velha. Gosto… Gosto da rugosidade, do padrão dos veios, das histórias que guardam.
Outra panca: puxadores. Muitas vezes, os armários trazem puxadores que eu não acho apropriados e eu troco-os por outros mais a meu gosto. Ou então, troco os puxadores de uns móveis para outros, por forma a combinarem melhor com a decoração da divisão. Seja o que for, o que acontece é que fui ficando com uns puxadores a mais.
Por isso, numa tarde em que já não havia mais cabeça para os desenhos, desanuviei, reutilizando estes materiais.
A madeira era muito comprida. Cortei-a, SÓZINHA!, na serra circular. Uhuuu!! Louca!

(até transpirei…)

Dois dos parafusos dos puxadores eram demasiado grandes. Fui à loja de ferragens ao pé de casa e comprei uns, 5mm menores.
Medi, dividi o comprimento pelos puxadores, marquei e furei a madeira com o berbequim. Esta tarefa do berbequim já começo a achar fácil.
Lixei a madeira com a lixadora elétrica (mas toscamente, para não lhe tirar o ar rústico) e boliei ligeiramente as arestas, à mão. Básico.
Dei duas demão de verniz e deixei secar. Não tem nada que saber.
Umas horas depois já podia colocar os puxadores variados.

 

cabide_3

cabide_4

cabide_5

cabide_6
Não está lindo? A sério… não está?

Estou feliz com o resultado.
Agora, só não sei onde a colocar… por isso, não decidi ainda a forma de a pendurar, se aparafusando ou outro sistema.

 

Sem Comentários

Publique um comentário