Gosto

Sempre que os nossos pais, tios e amigos vêm cá a casa, já entram a perguntar:
“Então, o que há de novo?”
“Eh pá, isto está diferente!” – também é costume ouvirmos…
Desta vez foi a mãe do Eme: “Então, há mudanças nesta casa? Quais são as novidades? Ah, ainda não tinha visto isto!…”
Tenho, então, andado a pensar: Será que isto só nos acontece a nós? E será bom ou mau? Devemos ficar contentes por aguçar a curiosidade das nossas visitas ou será isto sinal de alguma maluquice da nossa parte? Será que já acabávamos com estas obras e mudanças?
O problema foi que quando nos mudámos para cá, há cerca de 10 anos, fizémos obras, não assim tão pequenas, mas com um orçamento limitado às nossas possibilidades. Por outro lado, pouco depois surgia a oportunidade única de adquirir também o rés-do-chão (uma segunda casa, mais pequena), onde instalámos o atelier. De lá para cá, a nossa lista de afazeres nunca mais teve fim.
Se tivéssemos um milhão de euros, esta casa já estaria um brinco!
… mas, se calhar, já estaríamos prontos para sair dela e ir para outra. E aqui é que reside a nossa pequena “insanidade mental” – gostamos desta casa porque quase tudo nela tem sido feito com as nossas mãos; gostamos desta casa porque a vemos evoluir, porque nos dá luta, porque nos faz definir objetivos e fazer planos em família; gostamos dela porque temos vindo a ajustá-la às nossas necessidades, assentando-nos que nem uma luva… e porque no dia em que nos deixar de dar que fazer, perderá a graça.

Pois, com tanta obra e mudança, as paredes têm levado muita pancada… muitas sarrafadas! Manchas, riscos e toques é coisa que não falta nestas paredes…
Neste aspeto, descobrimos (à força da experiência) que as tintas acetinadas, com um pouco de brilho, de marca BOA e laváveis, são impagáveis! Ao longo dos últimos anos temos vindo a repintar todo o interior da casa, divisão a divisão, corrigindo o “belo” trabalho que o empreiteiro da obra cá fez.
Agora, os riscos e toques que sem querer fazemos, limpam-se melhor. Ainda assim, descobri hoje esta esponja, que fui a correr utilizar em mais uns tantos riscos que “já me andavam a fazer espécie há algum tempo”, e que achei muito fixe…

Comprei no Minipreço. Como gostei do produto, partilho!

 

IMG_0383

 

Foi facílimo limpar manchas como esta (desconfio que feita com uma pancada do tubo do aspirador):

 

IMG_0376

 

Esta esponja apenas tem que ser humedecida com água. No final, usei uma toalha para secar as zonas onde passei a esponja húmida.
(Nota-se o desgaste nos sítios onde fiz pressão para limpar.)

 

IMG_0396

 

Tarefa bem sucedida!
Diz também na embalagem que elimina manchas de canetas, gordura, cal, bolor e sabão em paredes, portas, chão, rodapés, azulejos ou interior de veículos. Vamos ver.
A partir de agora já sei quem é que vai andar sempre uma esponjinha destas no bolso do avental 😉 (e não, não serei eu!)

Sem Comentários

Publique um comentário