About This Project

Não imaginam como eu gosto de ir para a casa da aldeia da minha avó! Não é uma casa moderna como as da cidade, não tem tantos canais de televisão e o acesso à internet não é fácil,… mas, por isso mesmo, somos tentados a fazer coisas diferentes: ir para o campo, cuidar da horta, inventar brincadeiras reciclando frascos e caixotes,… até criámos um espaço a que chamamos de “atelier”, onde passamos horas e horas a criar. A casa está em remodelação (pois já foi construída há muitos anos, pelas mãos do meu bisavô) e é na antiga adega que eu e as minhas primas passamos muito do nosso tempo, no espaço dos ateliers. Foi também aqui que nós tomámos conta de um armário velho, onde é costume arrumarmos as nossas tralhas. Este ano, inspirada por uma imagem que vi na internet, resolvi transformá-lo em cozinha. Com a ajuda da mãe (e da minha prima Mariana) – e alguns adereços que comprámos no supermercado – o velho armário, que estava a meio caminho do lixo, sofreu uma valente reciclagem e está de novo no ativo!

Este era o armário…

Vejam como fizémos:

Antes de mais, limpámos tudo muito bem, tirámos todas as teias de aranha, arrancámos um papel muito feio que cobria as prateleiras e as gavetas e repintámos o interior de branco.
Depois, com vinil autocolante preto e prateado simulámos o fogão, o forno e o microondas.

Comprámos uma grelha para o forno e um pratinho de plástico para o microondas.
Com um pedaço de mangueira e umas ferragens velhas, inventei uma torneira, que o meu avô me ajudou a colocar no armário.

Ao lado, e por cima do fogão, colocámos uma peça autocolante com ganchinhos para pendurar alguns utensílios.

Dois recipientes retangulares, colados com fita biadesiva no interior de uma das portas, simulou o frigorífico.

Enquanto isso, alguém nos espiava do ninho…
Andorinhas e passarinhos também adotaram este espaço e costumam fazer os ninhos nos buracos dos tijolos, no topo da parede. ♥

Comprámos também um quadro negro (para escrever a ementa do dia) e uns ganchos autocolantes para pendurar o rolo de cozinha (que tanto nos serve para aqui como para os ateliers).

Com um tecido plastificado, aos quadrados, que comprámos a metro, forrámos as prateleiras, as gavetas e ainda sobrou para uma pequena toalha de mesa (uma mesinha de campismo velha, que costumamos utilizar para “trabalhar”). Mais uns frasquinhos a condizer, um pano de cozinha e uma pega… e já pouco falta para atingir a perfeição!

Mais uns brinquedos velhos, uns frascos e umas embalagens vazias que a avó nos arranjou… e está completa a nossa cozinha!

Agora, toca a imaginar que somos chef, temos um restaurante ou uma cantina da escola,… e vamos trabalhar!

Esta brincadeira ficou quase em 50€, mas valeu bem o gasto! O armário está como novo, serve para brincar mas, no final, é onde arrumamos todos os materiais dos ateliers (tintas, canetas, colas, papeis,…) bem como os brinquedos e jogos que trouxemos para a aldeia.

Adoro!

Ca

Sem Comentários

Publique um comentário