Ainda não começámos a tratar da nossa sala… isto, há uns anos atrás era capaz de me deixar irritada. Hoje, tento ser uma miúda ( 😉 ) mais ponderada, mais tranquila e muito menos ansiosa. Acho que tudo tem um tempo e se não conseguimos fazer o que gostaríamos dentro do tempo que desejaríamos, é porque não é suposto ser assim.

Não vou dizer muito mais sobre isto. O DIY da Ca já diz quase tudo.
Apenas que não há nada como passar tempo de qualidade com as nossas crianças (filhos, sobrinhos, amigos…), dedicar-lhes um bocadinho da nossa atenção  e fazer com elas algo que agrade a todos.
Todos os anos dedico as minhas férias de Páscoa – um fim-de-semana prolongado – às minhas “filhotas”. Pouco mais faço do que ir onde elas gostam de ir e fazer o que elas gostam de fazer, mas é uma alegria para todas! O tempo é todo nosso. Os dias até são compridos e dão para fazer muita coisa!
E como elas gostam de ir para a aldeia, local onde descobriram que a sua criatividade não tem limites, vamos para a aldeia. Avós, pais e tios estão ali por elas e para elas e deve ser por isso que não lhes faz falta televisão nem internet (embora haja). As bicicletas, o baloiço, as tendas “de índio”, a horta, as tesouras, a cola e o papel ganham aos gadgets 4-1.

HIP, HIP, URRAAA para os projetos baratos, rápidos e fáceis de fazer!!!
Eu estou absolutamente in love ♥ com o nosso novo suporte de vasos!
Já há tempos que queria um e até já tinha visto à venda, mas não ao preço a que este nos ficou – 4,20€! Além disso, é mesmo bom olhar em volta, na nossa casa, e sentir que ela tem muito de nós, tem a nossa mãozinha aqui e ali.

Finalmente vamos tratar da nossa sala! Dez anos depois de uma obra que, devo dizer, ficou muito mal amanhada, e com a qual não ficámos nada satisfeitos (tinta reles nas paredes, portas mal decapadas, mal arranjadas e ainda pior envernizadas,…) voltamos a dedicar-nos a esta divisão da casa. Ao longo dos anos temos vindo a repintar, nós mesmo, todas as outras divisões (com tinta de qualidade) e já só faltava esta.
Entretanto, andamos a acertar agulhas com o projeto e confesso que já não me lembrava como, em matéria de decoração, eu e o Eme estamos muitas vezes em desacordo…

Ontem, usámos esta ferramenta para tirar uma medida pequena.
“Uau!” – pensei eu – “Ora aqui está uma cena à maneira!”
Adoro ferramentas úteis… mas mesmo úteis!… E acho que esta é. Quantas vezes me debati com a régua, abri bem os olhos, semicerrei-os, contei os pauzinhos dos milímetros até perceber se era 3.7 ou 3.8, 2.3 ou 2.35 milímetros! Agora, basta-me colocar o objeto a medir entre os dentes desta ceninha… et voilá… a medida exata!… em milímetros e em polegadas.
Também é comum encontrar esta ferramenta sem ser digital, mas digital é outra precisão!

Chegou a hora de largar lápis e computadores e dar cabo das unhas pela nossa casa! Ui!… E o que nós gostamos disso! Ultimamente andámos um pouco afastados da oficina, das madeiras e das ferramentas… e já estávamos a ficar doentes…
Hoje nem esperámos pelas 18h para largar o trabalho no computador! A seguir ao almoço, ele foi comprar uns materiais que vamos precisar para este fim-de-semana e ela começou a fechar o dia e a fazer planos para o que vem aí – finalmente, a remodelação da sala! Uhuuu!!! (Sim, vai ser trabalho, não para um, mas para vários fins-de-semana.)

Nós cá continuamos… a oferecer, a vender, a deitar fora,…

Nas últimas duas semanas houve dias em que descansámos e não tomámos qualquer decisão, mas outros houve em que nos desapegámos de coisas “como se não houvesse amanhã”!… e está bem, as nossas regras quem faz somos nós, sem nunca nos afastarmos do objetivo imposto: um objeto por dia até ao final do ano.
Assim sendo, saíram cá de casa:

Ao longo dos anos juntámos alguns quadros, fruto de viagens, trabalho, compra e ofertas. Apesar do meu trabalho como ilustradora, não gosto de ver só obras minhas expostas (em casa até tenho poucas).
De vez em quando gostamos de variar a colocação dos quadros e molduras nas paredes de nossa casa e do atelier. Sai da sala vai para o quarto, sai do quarto e volta para a sala, troca este com aquele, sai um e fica outro… Isso faz-nos vê-los com outros olhos, descobrir neles coisas novas e “ouvir outras histórias”. Por isso, nesta “dança de cadeiras” por vezes há uns que ficam de fora.

Mesmo as cortinas de duche de maior qualidade têm tendência a encardir, com o tempo. Por muito limpo e arrumado que esteja o nosso quarto de banho, se o cortinado estiver amarelado, nunca teremos a verdadeira sensação de limpeza. Aqui fica mais uma dica para aproveitarem durante as limpezas da primavera:

Já adiámos a pintura da sala em quase um mês. Ora está sol e nós temos outros compromissos, ora chove e não dá para nos metermos em pinturas!
Enquanto isso, aproveitamos os dias chuvosos para destralhar mais um quarto, um armário, uma gaveta, ou nem que seja apenas um dossier de papelada.
Também aproveitamos para estudar e projetar melhor a futura remodelação da sala, a disposição dos móveis e novas soluções funcionais e decorativas. Sofá para cá, mesa para lá… depois de uma manhã de experiências, ainda pouco é certo no que toca à futura organização da sala. Chego mesmo à conclusão que só retirando tudo de lá, vendo a sala completamente vazia, será possível ter uma nova visão do espaço… como uma tela em branco.
Outra fase pela qual já percebi que é importante passar – e que também aproveitei para começar – é reunir apenas os objetos com que iremos ficar e que funcionam bem na visão que temos para aquele espaço; retirar os que deturpam essa visão.