Trabalhos, trabalhos, trabalhos,… acerca dos tantos trabalhos, obras de arte, dos nossos filhos…
No outro dia concluímos mais uma das 52 tarefas deste ano. Não, o panorama não está bonito! Praticamente no último trimestre do ano e tanto ainda nos falta fazer para atingirmos o objetivo a que nos propusemos… bolas!
Bom, o que é certo é que a parede de cortiça do quarto da Cá já está arranjada. O inverno passado, devido a uma bátega de água louca que se abateu sobre a casa, tivemos uma inundação no quarto da nossa miúda. A água escorria pela parede quase em cascata e conseguiu estragar todo o nosso trabalhinho da parede de cortiça. Deixámos que o verão secasse tudo muito bem, e lá voltámos a refazer a parede. A Cá está de novo feliz e contente com os seus trabalhos expostos.

Pois é, há muito tempo que recebemos mensagens com questões acerca da organização da casa e também a perguntar se não fazemos workshops de organização. Também recebemos algumas mensagens com questões relacionadas com a organização dos espaços das crianças e a pedir dicas e soluções para o roupeiro, brinquedos e espaço de estudo.
Pois unimos o Cinquenta e Dois ao nosso atelier Nósnalinha e criámos o primeiro projeto conjunto, numa simbiose perfeita – os Ateliers de Organização Pais e Filhos!
Pois então cá estão. Desta vez, em Coimbra, no Forum Coimbra – um espaço lindo, muito bem organizado e super fashion!

Vamos na terceira parte e ainda não é tudo! Já se deve começar a perceber porque é que a obra desta sala demorou tanto. Puf!
O armário branco, parte da primeira mobília dos meus pais, que já veio de Moçambique de navio, que tem mais de quarenta anos… como abdicar dele?
Esse ficou, mas rodeado de muitas outras peças criadas por nós (muito DIY por aqui): o candeeiro de parede, os quadros, a tela,… e um desvario do Marcelo, que eu A-M-O!!. Já vão ver o que é.

A renovação da nossa sala demorou, durou… e ainda dura! Mas o que é certo é que temos a certeza que tudo está a ficar no devido lugar, como nós queremos, como, efetivamente, nós usamos e como nós gostamos. Já por aqui foi dito que o facto de ter demorado, esta obra, deu-nos tempo de experimentar os espaços, testar alternativas e garantir que todos estamos de acordo com a nova disposição. E como aqui ninguém é profissional de nada, as decisões não são tomadas com recurso a conhecimentos teóricos, mas empíricos, o que torna tudo mais difícil.
Aqui estão duas obras que deram algum trabalho, mas que valeram mesmo a pena: