Por vezes é preciso um tapete bem fofo, uma almofada confortável e uma chávena de chá de erva-príncipe para tratar de certas papeladas e assuntos pendentes.
Decidimos renegociar as dezenas de seguros que nos foram “obrigando” a fazer ao longo dos últimos anos. Multi-riscos habitação, multi-riscos negócios, seguros de trabalho, de saúde, de vida, de recheio, automóvel…
Com tantos seguros há tanto tempo, algo vai ter que mudar.

Alegria.
Gosto desta palavra… intimamente ligada a “bem-estar”.
Hoje pus-me a pensar no que trará alegria a uma casa. Não me refiro a realização pessoal e profissional, estabilidade financeira, familiar, saúde, etc. Tudo isso é essencial, claro, mas não, pus-me a pensar em que medida é que o ambiente que nos rodeia nos pode fazer esquecer algumas “maleitas” e contribuir para que nos sintamos mais felizes; pus-me a pensar em coisas simples que contribuem para uma casa feliz; e em que medida é que a nossa casa, o seu aspeto, influencia o nosso estado de espírito.

As plantas traduzem “vida” e trazem ar puro, energia e alegria ao lar.
Por isso, nas últimas 52 semanas, temos olhado para elas com especial atenção. Comprámos um ou outro vaso novo, suspendemos outros, construímos também, em madeira, recuperámos alguns cachepots mais velhos, que estavam prontos a ir para o lixo e divertimo-nos com alguns DIY simples…
Neste percurso, nem tudo foram rosas… – que, por acaso nem as houve – mas, do local onde escrevo este artigo, posso olhar para algumas das nossas verdes meninas e estas dão-me a serenidade e inspiração que temos vindo a procurar para a nossa casa. 😉
Aqui fica mais uma coisinha que descobrimos…