carlota2
Não é preciso ser-se “totó” para desconhecer a diferença, na prática, entre uma aparafusadora e um berbequim! Basta que nunca se tenha precisado destas ferramentas; basta que se tenha adquirido recentemente a primeira casa; basta que, finalmente, nos tenhamos decidido a poupar algum dinheiro não chamando um “mestre de obras” para nos colocar um quadro; ou basta até que a pessoa que habitualmente fazia isso em casa, já não o faz mais… certo?
É muito comum não existirem estas (e tantas outras) ferramentas nas nossas casas. Nos últimos tempos, fruto da existência deste blog, pudemos perceber quantos e quantos amigos nossos têm em casa pouco mais do que uma chave de fendas, e quantos têm montado móveis apenas com aquelas simples chaves hexagonais em L, e quantos têm quadros encostados a paredes e candeeiros dentro de caixas, à espera que “alguém” os coloque! É por isso que nós, decididos a cumprir a nossa palavra, começámos, então, a partilhar o que sabemos e RESOLVEMOS FAZER UM VÍDEO!
UHUUUUU!!!!
E, como temos que começar por algum lado, resolvemos começar pelo básico… as primeiras duas ferramentas que achamos que devem existir em todas as casas – uma aparafusadora e/ou um berbequim. Que diferenças há entre elas, para que servem e qual escolher na hora de comprar.
Esperamos, com este nosso primeiro vídeo de DICAS, estar a fazer um bom serviço público! Esperamos também provar que “isto da bricolagem” é tudo mais fácil do que parece e que fazer uns furos numa parede não é nada do outro mundo!
(Embora possam acontecer COISAS, que podem!)
Então, coragem, e venham connosco!
(Para ver o vídeo, clique na imagem)

 

Foi dito que todos os dias partilharíamos novidades do novo projeto – o beliche da Mia e do Lucas – mas, na realidade, foi impossível cumprir a promessa. Houve dias em que, apesar do trabalho, a evolução não era visível… outros houve em que tivemos que nos dedicar às últimas entregas de projetos do atelier antes de entrarmos de férias… e ainda outros em que choveu e não deu para tirar fotografias.
Uma coisa é certa, o trabalho continua, já vamos nos 2.º andar e cada vez mais se percebe do que se trata.

Pois, andava há uns meses a ver se me aguentava só com esta mesa de trabalho…

IMG_9409-1

Desenha aqui neste cantinho, chega a Wacom para lá, puxa o scanner para cá, troca o scanner com a impressora, liga a máquina fotográfica daquele lado, põe os livros no chão,… uma ginástica constante.
“Assim, é difícil trabalhar…” — queixei-me.

Ora aqui fica partilhada mais uma coisa que aprendemos:
Enquanto estivermos a usar uma determinada tinta ou verniz, entre demãos, para não estarmos sempre a lavar o rolo, podemos guardá-lo dentro da lata. Só temos que a fechar bem e, quando quisermos voltar a usar, “pescá-lo” com o braço do rolo.
Esta dica torna-se ainda mais preciosa, se estivermos a usar tinta de esmalte ou verniz solvente, em que temos que usar diluente!

Um destes dias, embora não tenha partilhado aqui, resolvi atirar-me ao closet (existe em português uma palavra para isto, que não roupeiro?). Desta tarefa saiu roupa para lavar, roupa para dar e roupa/acessórios para deitar fora. Cheguei à conclusão que partilhar o espaço da roupa de vestir com a roupa de cama e wc não me agrada. Conclusão:
EME, PRECISAMOS DE UM ARMÁRIO PARA A ROUPA DE CASAaaa!!!
Procurámos o armário ideal, procurámos e procurámos… embora o ikea tenha sempre o que precisamos a bom preço (é incrível!), não queria mais uma solução Ikea ou semelhante… Procurámos, então, algumas lojas de móveis antigos… e nada!
Tinha visto um num armazém de móveis vintage, do qual gostei muito, mas, além do armazém ter fechado, desconfio que ainda não seria o ideal.
Foi então que o Eme, sugeriu: “Desenha, que eu faço!”
“Não digas isso duas vezes…”
E não é que disse mesmo?
Desenhei o dito e já “começámos” a construí-lo!!!
Se ficar bem, partilho os planos, querem?

Apesar da eletrotecnia nunca ter sido o meu forte, e de ter terminado dois anos desta disciplina com um belo 2 na pauta :-x, cá estou eu, cheia de motivação, pronta para substituir o “candeeiro” do wc – um velho casquilho com uma lâmpada atarraxada. Dez anos tem esta beldade!