Já lá vão alguns dias desde que trocámos a misturadora antiga por uma nova e so far so good. Nada de fugas de água, nada de faltas de pressão, nada de nada… só duches bons!
Foi uma tarefa super fácil! No nosso caso ainda havia um problema maior: os azulejos atuais foram colocados em cima dos antigos e, por isso, a saída da tubagem estava pouco saliente e com a colocação dos espelhos ficava ainda mais difícil de fazer o aperto da torneira. Na antiga, tivemos que optar por não colocar os espelhos, o que ficou horrível! Mas com esta foi possível e, agora sim, está um trabalho como deve ser, impecável!… E não precisámos de nenhum especialista na matéria, apenas de uns bracinhos com força (que não os da Carlota, que anda a precisar de ginásio…). 😉
Como sempre, depois de aprendermos e experimentarmos, partilhamos como se faz.

Ao ouvir a mensagem de Ano Novo do Presidente da República, não pudemos deixar de nos rever em muitas das suas palavras e expressões. Também para nós 2017 foi um “estranho e contraditório ano, que muito exigiu de nós”. Tivemos muitas alegrias, como algumas parcerias conseguidas com marcas de referência (sinal de que somos merecedores da sua confiança), como a concretização de projetos importantes e como o facto de termos sido nomeados para Blog do Ano na categoria de Decoração (sem esquecer todas as mensagens incentivadoras que nos foram chegando). Mas também tivemos um ou outro infortúnio, ainda alguma instabilidade financeira e novidades menos boas a nível profissional, o que colocou à prova a nossa capacidade de resistência. Por isso, estamos felizes por entrar em 2018, na expetativa de ser um ano um pouco mais tranquilo, mais estável e, ao mesmo tempo, com mais trabalho e menos estagnação. Somos malta criativa, somos malta que faz acontecer e somos malta que gosta de partilhar!…e, por isso, gostamos de estar por aqui e gostamos mesmo de estar com vocês!
Decretámos que 2018 terá que ser, então, o nosso “Ano da Reinvenção”! (usando novamente as palavras do Sr. Presidente)

Eis aquilo que nos tirou os últimos fins-de-semana, folgas e feriados, noites e quaisquer minutos de descanso! Ora aqui está o espaço de ateliers de Halloween criado para um dos nossos clientes. Qual casa, qual remodelação ou restauro, qual quê! A nossa atenção, nos últimos tempos, foi toda para a criação e produção deste espaço muito especial… uma outra casa, que não a nossa.

A renovação da nossa sala demorou, durou… e ainda dura! Mas o que é certo é que temos a certeza que tudo está a ficar no devido lugar, como nós queremos, como, efetivamente, nós usamos e como nós gostamos. Já por aqui foi dito que o facto de ter demorado, esta obra, deu-nos tempo de experimentar os espaços, testar alternativas e garantir que todos estamos de acordo com a nova disposição. E como aqui ninguém é profissional de nada, as decisões não são tomadas com recurso a conhecimentos teóricos, mas empíricos, o que torna tudo mais difícil.
Aqui estão duas obras que deram algum trabalho, mas que valeram mesmo a pena:

Recebemos vários pedidos para explicar como fizemos a nossa “parede geométrica”. Apesar de um primeiro percalço – que já contarei – foi muito mais simples do que pensava… ou pensávamos, que o pessoal aqui de casa duvidou que esta ideia resultasse.
Tudo começou quando comprei uns cortinados lindos com um padrão de cubos. Seriam perfeitos para a nossa sala, não fosse serem demasiado pequenos em largura e demasiado transparentes para o nosso gosto. Devolvemos os cortinados, mas a ideia de ter uma área vertical com um padrão geométrico ficou. Comprar ou mandar fazer papel de parede estava fora de questão pois não tínhamos como fugir ao orçamento apertado, por isso fui para a internet à procura da melhor forma de desenhar diretamente na parede. Depois de muita pesquisa cheguei à conclusão que os marcadores Posca são o que temos de melhor em Portugal para este fim. Experimentei canetas permanentes, cuja tinta sai com álcool, mas com o tempo a tinta tende a ser absorvida pela parede e é um trinta e um para retirar ou pintar por cima. A Posca tem uma tinta acrílica e lavável. Ou seja, se passarmos com um pano seco a tinta não sai, mas com um pano húmido podemos limpar a pintura. Eu achei isso ótimo (caso a coisa desse para o torto). De futuro, só não nos podemos esquecer que aquela parede não pode ser limpa com um pano húmido. Ah! Também convém que se trate de uma parede pintada com uma tinta acetinada lavável. estes marcadores podem comprar-se em lojas de artes ou na Staples. Há imensas cores (até dourado) e espessuras. O que utilizei é o 0.7mm.