E assim vai a obra na nossa sala…
Depois de termos tirado os estores de uma janela grande, agora, para além de termos tirado também os de uma janela mais pequena, colocámos teto falso em madeira, com iluminação.
Quanto aos estores, já justificámos a sua retirada pelo dificuldade que tínhamos em mantê-los lavados. Além do mais, numa sala com marquise, terraço e muitas janelas, onde a luz entra sem cerimónias, já não se justificava a presença dos estores. As caixas (interiores) deixavam passar o frio e o calor e sentíamos até correntes de ar.
Quanto ao teto falso, permitiu-nos resolver dois problemas: tapar e isolar a zona da caixa do estore e acrescentar iluminação de teto, que era coisa que esta sala não tinha. Além do mais, o novo teto conduz a luz natural, que entra pela pequena janela, para o interior.

É muito usual ver cabos de carregadores neste estado, a desfazer-se junto ao terminal. Nós temos um assim.
No outro dia dei com ele com esta solução: uma palha a envolver a área fragilizada. Foi a Cá que descobriu, algures na internet.
É só cortar uma palhinha no comprimento, fazer outro corte longitudinal e encaixar no cabo.
Neste caso, como estava um pouco larga, a Cá colocou duas e a de dentro ficou um pouco mais apertada. Também se pode apertar a palhinha e colocar um pouco de fita-cola (ou uma washi tape toda giraça). Se não quisermos mesmo que saia do lugar, também se pode aquecer com um secador de cabelo até derreter um pouco e aderir ao cabo, mas nós não fomos tão longe…

Que brincadeira mais divertida! O que nós adoramos estes momentos em família… sempre a inventar, claro!
Desta vez resolvemos tirar o baloiço de debaixo do telheiro para fazer dele um refúgio de verão. Sim, lembram-se deste baloiço? Já o fizémos há uns anos, com uma palete, cinco traves e alguns parafusos. Coisa mais simples do mundo!!!

Como se não bastasse todo um mês de junho cheio de afazeres, ainda tivemos que lidar com o stress emocional e os problemas de autoconfiança do nosso Luke. Sim, este bicho deu em marcar território em todos os cantinhos do atelier…
Não sabemos se por causa de um gato estrangeiro que por cá aparece muitas vezes, se por causa da nossa Mifi, com quem ele partilha o espaço.
Tentámos várias práticas para o demover (incluindo o uso de um difusor que, segundo dizem, reduz a marcação urinária em casa), mas nada! Este guerreiro deu em defender o seu território qual Skywalker e o seu sabre de luz (neste caso, de xixi).
Preocupados com os nossos computadores, teclados, e mobiliário, resolvemos que o nosso pequeno guerreiro teria que passar a viver lá fora, que é como quem diz “num outro espaço que não o nosso local de trabalho”.
Assim sendo, para já, desenhámos e construímos um pequeno abrigo para dormir e, ainda antes do inverno, teremos que fazer uma obra maior (que não estava nos nossos planos). Mais uma a acrescentar à nossa pequena listinha de 52 projetos para 2017!

Acreditam que esta porta foi “arranjada” quando comprámos e remodelámos a casa? Não fecha, não tem puxador, está toda quincada, as dobradiças são demasiado largas e grossas para ali, tem uma bela massa castanha a tapar os buracos e as molduras dos vidros, vidros esses que ficaram riscados (sim, porque fornecemos novos e eles foram capazes de os riscar todos!),… bom, e devo estar a esquecer-me de mais qualquer coisa.
Assim foi o “arranjo” e assim ficou.
Este é apenas um exemplo do calibre das obras que foram feitas nesta casa!!! Ah, se vos contássemos a saga que foi… e como éramos inexperientes… e se eu soubesse o que sei hoje…

Agora sim, a entrada do atelier está à maneira!
Enquanto um pintava estrelas e passarinhos, o outro investia em mais uma das suas visões – o nosso logotipo em tamanho gigante! E digam lá que não ficou fixe!

Não vou dizer muito mais sobre isto. O DIY da Ca já diz quase tudo.
Apenas que não há nada como passar tempo de qualidade com as nossas crianças (filhos, sobrinhos, amigos…), dedicar-lhes um bocadinho da nossa atenção  e fazer com elas algo que agrade a todos.
Todos os anos dedico as minhas férias de Páscoa – um fim-de-semana prolongado – às minhas “filhotas”. Pouco mais faço do que ir onde elas gostam de ir e fazer o que elas gostam de fazer, mas é uma alegria para todas! O tempo é todo nosso. Os dias até são compridos e dão para fazer muita coisa!
E como elas gostam de ir para a aldeia, local onde descobriram que a sua criatividade não tem limites, vamos para a aldeia. Avós, pais e tios estão ali por elas e para elas e deve ser por isso que não lhes faz falta televisão nem internet (embora haja). As bicicletas, o baloiço, as tendas “de índio”, a horta, as tesouras, a cola e o papel ganham aos gadgets 4-1.

HIP, HIP, URRAAA para os projetos baratos, rápidos e fáceis de fazer!!!
Eu estou absolutamente in love ♥ com o nosso novo suporte de vasos!
Já há tempos que queria um e até já tinha visto à venda, mas não ao preço a que este nos ficou – 4,20€! Além disso, é mesmo bom olhar em volta, na nossa casa, e sentir que ela tem muito de nós, tem a nossa mãozinha aqui e ali.

Finalmente vamos tratar da nossa sala! Dez anos depois de uma obra que, devo dizer, ficou muito mal amanhada, e com a qual não ficámos nada satisfeitos (tinta reles nas paredes, portas mal decapadas, mal arranjadas e ainda pior envernizadas,…) voltamos a dedicar-nos a esta divisão da casa. Ao longo dos anos temos vindo a repintar, nós mesmo, todas as outras divisões (com tinta de qualidade) e já só faltava esta.
Entretanto, andamos a acertar agulhas com o projeto e confesso que já não me lembrava como, em matéria de decoração, eu e o Eme estamos muitas vezes em desacordo…