Estudar é altamente!

Estudar é altamente!

Este ano achámos que estava na hora da nossa pequena crescer mais um bocadinho e tornar-se mais responsável. Que isto de andar sempre a definir os seus momentos de estudo, estar sempre a dizer “Tens que estudar”, perguntar todos os dias “Não tens trabalhos para fazer?”, lembrar “Hoje temos que estudar para o teste não-sei-de-quê” e ter que fixar o seu calendário de testes e trabalhos… não faz mais sentido. Cansa-nos muito, faz-nos sentir chatos e retira-lhe muita da responsabilidade que ela tem que se habituar a ter. Mesmo connosco sempre atrás, houve trabalhos que não fez, livros que ficaram em casa quando deviam ter ido para a aula e livros que ficaram na escola quando deviam ter vindo para casa para estudar… em relação ao estudo, nada acontecia se não fôssemos nós a mandar… e nunca queria tirar dúvidas com os professores.

Foi por isso que este ano decretámos que a Ca “tinha que abrir a pestana” e começar a gerir o seu tempo e os seus deveres. Dissemos-lhe isto durante o ano passado. Ela já estava de sobreaviso. E, este ano, assim tem sido. Chega a casa e vai fazer os trabalhos, tem estudado sozinha e gerido o seu tempo entre atividades extra, brincadeira e trabalho. É claro que ainda perguntamos: “Tens trabalhos para fazer?”, “Precisas de ajuda para alguma coisa?”, ainda alertamos “Não deixes para depois o que podes fazer já!”, mas agora de uma perspetiva de lhe dizer “Estamos por aqui, se precisares, e temos interesse naquilo que se passa na tua vida!”.

Foi por isso que voltei a ir buscar um dos meus livros favoritos, Altamente, da Margarida Fonseca Santos. Já o tinha lido o ano passado e achei-o magnífico! Voltei a pegar nele ontem, devorei metade, sublinhei, coloquei post-it’s e não pude deixar de pensar que tinha que partilhar. Sim, porque isto de tornar a nossa casa e a nossa vida mais organizada e tranquila também passa por aqui, por algum treino mental, por trazer calma e tranquilidade para dentro de nós, como pais, no meu caso como professora de crianças também e, no caso da Ca, para que cresça menos assustada com os desafios que a sociedade lhe impõe, menos stress, menos medo, menos ansiedades e mais confiança nela própria.

Acabei a colocar post-it’s para a filha, para os pais e para a Carlota professora. Dicas preciosas que vou agarrar (e se eu precisei delas na minha aula de ontem… puf… os miúdos estavam de todo)!

 

altamente2

 

É impossível partilhar aqui todas as dicas que eu acho mais preciosas — até porque cada um de vós encontrará outras mais à medida —, mas vou partilhar apenas esta, que acho que pode ajudar muitos pais e filhos neste novo ano escolar:

“Existe uma excelente técnica para estudar e memorizar melhor. Consiste em: preparar, depositar conhecimentos, rever e lembrar.

Preparar | Ao arrumar a mochila, abre o livro e passa os olhos pela parte que vem a seguir ao que já deu. Não é preciso ler tudo – basta passear os olhos pelas palavras em destaque, caixas de texto, de forma descontraída.

Depositar conhecimentos | No dia seguinte, quando a professora começa a falar sobre o assunto, acontece algo no cérebro muito interessante – lembra-se daqueles destaques , parece acompanhar melhor o que está a ser dito.

Rever | Se, ao chegar a casa, o aluno ler então o que vem no livro e os apontamentos que tirou, vai fazê-lo com muito mais facilidade do que anteriormente. E, vendo bem, esta é a terceira passagem pela matéria.

Relembrar | Por fim, quando começar a estudar para o teste, será pelo menos a quarta vez que pensa, memoriza e compreende o assunto. Se se imaginar a utilizar a informação na aula ou num teste (imaginário do futuro*), o cérebro mantém a memória perto. O mesmo vai acontecer quando usar essa memória no teste. A técnica é muito simples. Cabe-nos ensiná-la a quem precisa.”

NÃO É MESMO PERFEITO? Tão simples e tão lógico! Resta-me agora passar esta técnica à Ca. Ela é pouco recetiva aos meus conselhos… acho que é natural, da idade… não? Mas vou arranjar modo de lá chegar.

Quanto ao livro, ficará no meu coração e na cabeceira da cama durante os próximos tempos.
Recomendo!
Carlota ♥

 

*Uma outra técnica interessantíssima que é explicada no livro.

3 COMMENTS

  1. Outubro 12, 2016 16:38 Responder

    Oh, Carla, que espectáculo! Fico mesmo feliz por saber que dá jeito, que funciona, que está sempre à mão. É tornar o sonho (ao escrever o livro) uma realidade (a sua utilização). Agradeço-te imenso! E estás de facto no bom caminho, vais ver a diferença – passar de pai-polícia a pai-estouaquiseprecisares é um passo de gigante, mas que provoca mudanças para sempre. Boa!!! Um grande beijinho

    • Carlota
      Outubro 12, 2016 16:45 Responder

      Não é só ela que cresce… nós também, com ela… e tu sabes como isso tem um saborzinho agridoce.

      • Outubro 12, 2016 16:48 Responder

        Pois, bem sei. Um dia, fizeram-me a seguinte pergunta: tem medo de abrir a gaiola e descobrir que o seu filho sabe voar? Nem imaginas o que isso mexeu cá dentro a minha forma de ser mãe. Custa, claro que custa. Mas depois é mesmo bom vê-los voar.

Leave a reply